terça-feira, junho 12, 2007

Os Namorados de Rua.

Hoje, 12 de junho, finalmente chega o dia dos namorados, uma das datas que o comércio inventou para tentar arrumar mais um troco dos trouxas usando de sentimentalismo meloso. E assim como em outras grandes efemérides - tal qual o dia das mães e dos pais - as ruas ficam atulhadas de pessoas entrando e saindo das lojas, buscando qualquer coisa com que prensentear os respectivos, sob pena de não dar umazinha à noite.

Tudo seria até suportável não fossem os vendedores - sim, sempre eles! Essa gente, cujo principal requisito no emprego é ter sangue de barata, muitas vezes ficam postados nas portas das lojas apenas esperando que incautos passantes diminuam o passo frente a eles. Logo começa o festival de oferecimentos de presentinhos "a(o) namorada(o)". Não importa que você diga que não tem namorada, que é um ser assexuado e anti-social, desejoso de ver o mundo arder nas chamas do inferno por todo sempre - o que não é o meu caso, pelo menos na parte do assexuado. Não importa nada, eles oferecem assim mesmo. Chego até a pensar no que eles diriam se eu passasse e respondesse assim: "Cu?, não obrigado" bem alto, para toda a rua ouvir. Pena que eu seja bonzinho demais pra isso.

De todo jeito, esse dia parece que foi proveitoso para mim. Sim, pois mesmo que não tenha namorada com quem dar uma trepadinha amorosa no dia de hoje tive a sorte de encontrar um gravador de DVD por módicos 100 pilas! E do jeito que eu precisava!

Sei que essas merdinhas eletrônicas não são nada comparadas a uma boa trepadinha - não sou assexuado, lembram? Contudo, uma vez que não tenho perspectiva de encontrar nenhuma moça interessante no mundo pedroleopoldense no qual me encontro agora, acho que ficou mais em conta gastar com um brinquedo desses.

Quem sabe ano que vem...

Quem sabe eu diga, "Cu? Não, obrigado."

2 comentários:

Daniel Braga disse...

Maicou, seu valdevinas! Por onde andas? Fala aí onde cê tá nos fins de semana, e se mantém os planos para o vídeo, seu fé das unha! Um abraço!

Regis Soares - Repórter disse...

E o seu livro filhote? Aquele do Diabo, vai publicar não?